quinta-feira, janeiro 10, 2008

Foi o Vento...

...que te trouxe e te levou!
Passaste na sua aragem,
e deixaste marca em quem Sou!
Agora espero!
Espero que o Vento torne a passar,
espero entender as marcas que deixaste!
Espero entender o que vieste fazer!
Foi o Vento...
... que te levou deixando o vazio!
... que me arrancou o meu sentido!
... que te levou com rapidez, ...,
sem que eu pudesse lutar!
Agora espero,
porque sei que o Vento torna a passar!
Porque sei que, também, te marquei!
Porque sei que sentes o mesmo vazio!
E irás sentir a minha ausência!
E vais desejar...
... que o Vento, por ti, torne a passar!

3 Comments:

At 12:58 da tarde, Anonymous sergio said...

As duas primeiras estrofes são lindas... talvez o que de melhor já li de vc. Quando chega em "Foi o vento..." a pena treme... a dor embaralha a visão, o punhal vacila: vision is a naked sword.
Ao final vc quase recupera a consciência.
Mas o início é primoroso e me emociona.

 
At 1:02 da tarde, Anonymous sergio said...

Também gostei da ilustração... das texturas, das topografias, dos excessos...
O traço é leve, rápido e repetido, o que o torna forte, quando necessário. Se você gosta de força, pense em construí-la... podes também experimentar a escultura... em madeira...

 
At 3:10 da tarde, Blogger Rita Inácio said...

Quero acreditar que a dor passa tão rápido como uma rajada de vento!

Uma vez o sérgio escreveu que a minha tristeza fazia com que eu fizesse coisas "interessantes", talvez me ajude a libertar, a libertar a Rita!

 

Enviar um comentário

<< Home